DEPOIMENTOS

Anderson Müller
 
"Na Cola" é um encontro com a alegria, a dança e principalmente com o amor.
Trabalhar com essa turma só faz me sentir melhor e viver feliz. Eu amo esse trabalho.”

Elisa Firpo 

“Tenho o Sapateado como paixão desde os 14 anos quando comecei a fazer aula, após receber um presente de minha mãe, o filme "Singin' in the rain". A Cola do Sapateado é um projeto gratificante e estimulante, que me dá a oportunidade de somatizar dois grandes amores da minha vida artística: a Dança e o Teatro. Além disso, tem sido incrível poder compartilhar este processo com um elenco tão experiente e profissional.”

Daniela Fortes

"Na Cola do Sapateado – este título talvez não signifique só o nome da peça que estamos fazendo...para algumas pessoas como eu,que um dia colocaram este verdadeiro instrumento musical (o sapato de sapateado) nos pés, é impossível não permanecer “na cola do sapateado”. Eu achei que nunca mais iria sapatear e mover meu corpo deste jeito,jogando pernas para o alto,fazendo linhas de braços clássicas,virando a cabeça no tempo certo,requebrando no staccato... e de repente a surpresa e a persistência de gente tão linda, como Gisa, Madu, Mabel, Tony, Tânia, Flavinha, Clarinha, Renatinho, Lu, toda a turma do Catsapá e minhas lindas novas amigas... e aí meu corpo ficou tão feliz, minha cabeça agradeceu tanto, que eu só espero transmitir para todas as pessoas que estão na platéia a alegria que é contar esta história, dançar estas coreografias, viajar nestas luzes coloridas e rir da malandragem de garotas tão simpáticas e da fragilidade e afeto de um professor tão durão... O Brasil que eu conheci nesta prova de geografia me fez uma Dani melhor,espero que assim também seja para as crianças que vêm por aí!"


Gisela Saldanha

"Um sonho que se sonha só é um sonho que se sonha só mas um sonho que se sonha junto é a realidade."

Juliana Nunes

“Na Cola do Sapateado é um reencontro com pessoas queridas, num projeto que é mais do que um Musical. Esse espetáculo que inspirou tantas pessoas há 20 anos, traz de volta aos palcos a magia de uma coreografia feita cheia de emoção, técnica e sensibilidade, contando uma história simples e contagiante. Uma viagem no tempo, tanto para quem está na platéia, como para quem participa do elenco.
Quando eu era uma adolescente, fui assitir "Na Cola do Sapateado", foi lá que eu tive a certeza de que o palco era uma lugar especial, e agora, de volta ao palco, fazendo parte desse espetáculo, me sinto uma adolescente novamente. A verdadeira arte tem o poder de inspirar as pessoas e de fazê-las experimentar sensações inexplicáveis, e é isso que o espetáculo é capaz de proporcionar a quem faz e também a quem assiste. É como se o tempo não tivesse passado...
Agradeço a todos os envolvidos na criação e na realização desse espetáculo, é lindo!
Embarquem com a gente nessa viagem!!!”

Luciana Belchior

“Eu amo dançar!!!  Sapatear os rítmos brasileiros então...está no meu sangue! E estar aprendendo estas coreografias lindas da Val e da Tânia é como um reencontro com minhas orígens.

'Sou nordestina sou eu, eu sou lá do Ceará, terra de nosso senhor onde canta o carcará, onde desde muito cedo aprendi sapatear!' (Valeria Pinheiro)

A COLA fez história, influenciou muita gente por este Brasil a fora, e voltou pra ficar.”

Luciana Leitão (fez o personagem Ana Maria no elenco original)

 “A “Cola” foi uma experiência única e inesquecível na minha vida; não só em minha carreira profissional como sapateadora, mas também na minha vida pessoal.  Terem acreditado no meu potencial, especialmente Mabel, que era minha professora na época, foi muito importante para mim. Comecei “colando” de todo elenco, e quando menos esperava lá estava eu, fazendo parte dele.  Esse desafio não podia ter sido melhor compartilhado, guardo todos vocês amigos, em meu coração para sempre . Nessa sala de aula aprendi lições para toda vida! Tenho orgulho de ter feito parte de um espetáculo tão especial!!! Sucesso sempre!!!!
Beijos com carinho”


Mabel Tude

Na Cola do Sapateado 2010
















Essas meninas não tem jeito!

... é a Cola que me mostra o novo, de novo!



Maria Clara Gueiros

“Na Cola do Sapateado. Foi onde tudo começou. É difícil pôr em palavras tanta coisa. Descobrir que é possível fazer de uma coisa artesanal um trabalho lindo, profissional e com muita alegria. O início de uma carreira, que eu sigo até hoje e que foi lá (ou aqui) que eu descobri. Acho melhor parar por aqui, porque o que importa mesmo é toda a alegria que a gente quer passar pro público e todo o prazer de estar em cena, sapateando e exercendo a profissão que me faz sentir realizada. Que os deuzes do teatro e da dança nos protejam e nos façam passar alguma coisa que possa ficar na lembrança de quem está nos vendo. Um beijo, com muita alegria! Divirtam-se.”


Maria Dulce Saldanha

"Refazer a Cola 20 anos depois, é como voltar pra casa depois de uma grande aventura e dormir na minha cama quentinha!"


Martina Blink

“Dançaria no meio da rua, caso tivesse um par de sapatos na bolsa, quando a Gisela ligou me convidando para fazer o Na Cola, principalmente depois de ouvir quem seria o elenco do espetáculo. Dançar é um prazer difícil de descrever, e dançar com pessoas tão talentosas e divertidas é uma alegria imensa!”

Olívia Vivone

Fazer parte desse lindo espetáculo está sendo incrível! A dança é o que move a minha vida! Muito bom dividir o palco com essas meninas que eu amo e admiro tanto! Que venham mais 20 anos pra "Cola"!

Mônica Rogozinski (fez o personagem ‘Júlia’ no elenco original)

"As memórias da Cola são tantas...elas vem de forma caleidoscópica, cenas de um espetáculo que culminou no palco mas vem de aulas, encontros e muitas amizades.

Penso na minha primeira aula de sapateado no Jardim Botanico com a Deni. No sobrado da Gávea onde conhecemos varias catsapecas e a nossa tap-musa Tania, que de la nos levou pro CAT. Moses, That's Dance, Banquinho e a ideia de levar nosso ritmo pro palco. Os ensaios em clubes, almoços no Gulinha, sapatos capezio, mães, primas, Tony, Maneco e o ritmo contagiante, alegria e criatividade da Valeria.O Galeria, A Cola, o Ipanema, a fila na porta, a coca-cola depois do Sambão pra recuperar o folego, a salada de batata-frita do Gulinha...gosto de amizade, celebração e encontros sem fim...

O polster, a camiseta, o hotel da Paulista, o palco escorregadio do Pinheiros, o Sundae do Frevinho.

amigas, amigas, amigas sempre em ritmo de flap-ball change, de frevo, xaxado e muito Axé!

Como é bom poder reviver, de perto ou longe, a alegria que a dança nos traz.
'Break a Leg' garotas!!

beijos saudosos”

Rosa Marina Benevides (fez o personagem Evelyn Johnson no elenco original)

"Os sonhos são o verdadeiro início das grandes realizações. Na Cola do sapateado, posso afirmar, foi a realização do meu primeiro  grande sonho de viver o mundo dos palcos.
Entrar de cabeça, corpo e alma nessa empreitada sem o receio de errar ou acertar, certamente teve estreita relação com a rígida e talentosa direção de nossa então professora Tânia Nardini.
Os batimentos cardíacos acelerados, as pernas trêmulas  a ansiedade e a fadiga dos últimos e minuciosos ensaios, se misturaram com a certeza de que tudo daria certo, como de fato aconteceu, na primeira estréia. E o sonho se concretizou realidade.
São ´muitas recordações e emoções do período de montagem , e um legado de aprendizado que até hoje fazem parte da minha vida.
Na Cola do Sapateado, com as brilhantes e enpolgantes corerografias de Tânia e Valéira Pinheiro foi certamente um grande início para difusão do sapataeado carioca com futura repercussão naciomal. Em sua primeira edição, Na Cola,  representou a garra e  o sonho de um grupo de "meninas" sem experiência de espetáculo profisssional mas com o enorme desejo comum de simplesmente sapatear.
A  todas as Evelyns, e suas colegas de classe um forte abraço e muitas, muitas saudades...”

Tânia Nardini

" Nada acontece por acaso; nada, nunca. "Na Cola do Sapateado", muita coisa
mudou, crescemos, amadurecemos, vencemos muitos obstáculos, construímos
novos caminhos, mas o prazer de dançar e contar uma historia persiste em nossas almas e nos mantêm vivos; e agora temos a oportunidade de revisitar
este momento tão determinante em nossas vidas. Obrigada a todos que fizeram
e/ou fazem parte desta historia, especialmente ao Tony Nardini. Não teria
conseguido fazer sem o Tony há 20 anos e muito menos agora. Minha mais
 profunda gratidão e admiração, sempre!”

Tony Nardini

“Jamais diria não a minha querida irmã Tania Nardini, um dia fui assistir um ensaio de um espetáculo que a Tânia estrearia como diretora, eu tinha ido a algumas reuniões desse espetáculo para ajudar no argumento e texto. Era um espetáculo de sapateado. Eu tinha acabado de tirar o gesso do pé e perdido minha cachorra, tava péssimo. Cheguei no Galeria (Teatro) assisti ao ensaio e a Tânia sentou do meu lado e perguntou: Tony, o que vc vai fazer nos próximos 3 meses nos seus fins de semana? Eu respondi: Tânia essa pergunta é muito complexa, eu não sei nem o que vou fazer daqui há 1 hora. Então ela disse: Eu preciso que vc faça esse espetáculo, preciso que vc faça o Paulo Cesar. Eu jamais diria não pra Tânia, só que ela veio com reforço, apareceu com a Gisela Saldanha, Mabel e Madu. O que fazer? Estreei 2 semanas depois fazendo o Professor Paulo Cesar.  Depois disso foram 2 anos de Cola do Sapateado, sucesso absoluto. 20 anos se passaram e olha eu aqui fazendo a direção associada da Tânia na remontagem da Cola do Sapateado versão 2010. Parei por 20 anos, fui fazer outras coisas e, quem diria? 20 anos depois.............eu jamais falaria não pra Tânia.”